quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Esqueça preço! Compre coisa boa! Pare de perder dinheiro e seguir analista!

Olá blogosfera!

Recentemente tivemos a divulgação dos resultados do 4T17 da Itaúsa, consolidando o resultado do ano de 2017. Ótimo resultado, por sinal, Itaú voando alto como sempre, as outras controladas finalmente deslanchando (todas pagaram dividendos e demonstraram grande crescimento e amadurecimento no que tange a eficiência operacional e produtividade) e a entrada da Alpargatas como nova controlada, com bons resultados também. Os excepcionais proventos e a emissão de novas ações para subscrição dos sócios também evidenciam a ótima gestão e a excelente governança desta companhia.

Mas enfim, não é disso que quero falar, mas sim dos desdobramentos "sardinhescos" que ocorrem após esse tipo de notícia. O pessoal que segue "analistas" e "casas de análise" fica em polvorosa vendo as "oportunidades" (lembrando que 'oportunidade' é uma das coisas mais bestas que os deslumbrados gostam de papagaiar por aí) passando reto por eles. E aí sai esse tipo de pergunta:

Imagem editada para evidenciar só o que importa
Então vamos à análise...

Buscando nos dados históricos, percebemos que ITSA alcançou o patamar dos 10 reais em Setembro/17. Acionou o stop de compra do sardinha...

No final de Outubro /17 R$10,08. E o sardinha esperando...

No final de Novembro/17 R$9,94. Comprou! Ganhou 6 centavos por ação, vai fazer toda a diferença na IF! No melhor dos casos vai ajudar a arredondar o valor da assinatura mensal de análise...

No final de Dezembro/17 R$10,52. Freio de mão puxado. A oportunidade vai chegar!

No final de Janeiro/18 R$13,15. Ele começa a coçar a cabeça e duvidar do analista, mas segue com fé (a fé é muito importante na Bolsa, só que não...).

Fechamento de ontem(20/02/18) R$14,39. Aí ele já fica apreensivo e escreve pro analista se não está na hora de rever esse teto de preços, visivelmente contrariado, mas ainda evocando a figura de autoridade do analista...

Sardinha
No período, o menor fechamento foi de R$9,92. São 8 centavos, caro leitor! 8 CENTAVOS! Isso vai fazer toda a diferença pro pequeno investidor, pode ter certeza!

Enquanto o investidor sardinha ficou de fora esperando baixar o teto, a variação positiva foi de cerca de 47%.

QUARENTA
E SETE
POR CENTO

Tudo isso por conta do tal do Valuation. Poucos entendem que Valuation é uma tarefa EXTREMAMENTE COMPLEXA E PASSÍVEL DE ERROS. Pouquíssimas pessoa no mundo tem a capacidade de definir o real valor de uma empresa com uma margem de erro aceitável. E isso só funciona pra quem investe toneladas de dineiro de uma vez. Você pode aportar R$20000 mensais, não vai fazer diferença...

Tá cheio de fera por aí vendendo relatórios, dizendo que faz Valuation, que se pegar o livro do Alexandre Póvoa, vai achar que está lendo grego (isto não é uma afirmação, mas uma aposta que tenho grande certeza que ganharia). Eu peguei o livro Póvoa e me senti assim há um ano atrás.

Mas ainda assim existe a esperança de achar que se é O ESCOLHIDO, de que todo o mercado é burro e a casa de análise é a "inteligentona" que acha empresa subvalorizada.

Eu tenho asco de notícia sobre o mercado financeiro. Só serve pra deixar a mente nebulosa e te induzir a fazer cagada. Mas pra uma coisa elas servem: entender o passado. Quer ver?

JUNHO DE 2017
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/6736709/itausa-olho-compra-alpargatas-paralisacao-petrobras-mais-noticias-radar

Itaúsa demonstra uma intenção de comprar a Alpargatas. O mercado se comporta como? Indiferente, as cotações continuam variando dentro do mesmo patamar, afinal é só uma intenção e mesmo que ela se concretize, é de comum entendimento que a compra é boa, que a Itaúsa tem recursos pra isso e que seria bom pra Alpargatas também. Basicamente, nada muda.

JULHO DE 2017
http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios,jef-fecha-venda-da-alpargatas-por-r-3-5-bilhoes,70001887745

É dada a confirmação de que vão fechar o negócio. O mercado começa a demonstrar ânimo por conta disso e as cotações começam a subir aos poucos...

SETEMBRO DE 2017
http://tomartvnews.com/2017/09/21/alpargatas-anuncia-conclus-o-de-venda-do-controle-para-ita/

De Julho a Setembro a cotação saltou para 10 reais. Assim que a Itaúsa começa a reportar resultados com a Alpargatas já incorporada ao negócio e as cotações continuam a subir, acompanhando os bons resultados (muito impactados, obviamente, pela dominância do Itaú na composição da holding).

O mercado não é burro. Burro é quem compra ITUB se arreganhando todo porque a cotação tá subindo sem parar, mas chora migalha de ITSA, que tá "esticada", sendo que mais de 90% da holding é ITUB.

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

S&P subiu, S&P desceu! E agora? F%#deu?

ERRATA: Cometi um erro neste post. O cálculo que apresentei se refere ao Coeficiente de Correlação e não ao Coeficiente de Determinação. Já corrigi no post! ;-)

Olá blogosfera.

Ultimamente tenho me sentido mais animado em escrever posts. Vou fazer o possível pra continuar assim... :-)

Nas minhas aventuras cibernéticas comecei a reparar a histeria crescendo por causa do Bitcoin recente combo de quedas do S&P nos EUA. Jornaleiros Jornalistas mais doidos que o Batman enchem os pulmões pra gritar que foi a maior queda diária da história, que os cara tão tudo doido, que tá rolando porrada no pregão...

Mas e nós singelos brazucas comedores de feijão, que decidiram guardar uns caraminguás pra investir em boas empresas? O que fazer?

Gentilmente quibado do frugalsimples.blogspot.com.br
FOCA NO BALANÇO!


Eu sempre procuro fatos que provem que estou errado. Sigo a cartilha do Buy&Hold e do investimento em valor, sempre procurando algum argumento que prove que errei, que meus planos estão equivocados e que minhas análises não são eficientes, mas o que encontro são mais e mais recursos pra me defender contra a histeria e seguir em frente na estratégia.

Umas das falácias mais famosas entre os investidores é de achar que porque caiu lá, vai cair aqui. Subiu lá, vai subir aqui. Mas qual será a correlação entre S&P e IBOV?

Existe um recurso muito interessante da estatística que se chama Coeficiente de Correlação, que serve para comparar duas séries de dados e indicar qual o grau de correlação entre ambas. Logo, se é fato que nosso índice segue o S&P, é esperado que ao aplicar a fórmula aos dados tenhamos um alto grau de correlação entre eles.

O resultado varia entre -100% a 100%:
  • Resultados negativos indicam que a correlação é inversamente proporcional, ou seja, quando o S&P sobe, o IBOV cai e vice-versa. Quanto mais próximo de -100%, maior a correlação inversa entre as séries de dados.
  • Resultado zero indica que não há correlação alguma entre as séries de dados.
  • Resultados positivos indicam que a correlação é proporcional, ou seja, que o IBOV acompanha o S&P. Quanto mais próximo de 100%, maior a correlação entre as séries de dados.
Ciente de como o negócio funciona, decidi fazer uma pequena simulação: coletei dados dos últimos 10 anos do S&P e Bovespa, de 01/01/2008 a 31/12/2017. Para fins de comparação (e curiosidade extrema de quem vos escreve) decidi calcular o coeficiente de correlação diário, semanal e mensal dos índices dentro do período escolhido. No Excel existe a função RQUAD, que retorna o cálculo pronto. Me poupou um tempo gigante!

Valeu, Tio Bill!

Para o cálculo mensal, há 120 pontos de dados, para o cálculo semanal, há 522 pontos de dados e para o diário, há 2506 pontos de dados.

Resultados:

  • Mensal: 40,34%
  • Semanal: 47,28%
  • Diário: 8,62%
A diferença maior entre o diário e outros períodos se deve ao tamanho da amostras. Mas em resumo, dá pra notar que S&P NÃO DETERMINA NADA NOS CICLOS IBOV.

Evidente que, dado o tamanho do universo onde as amostras se encontram, muitos aspectos do mercado mundial são compartilhados entre os dois índices. Os 40 e poucos porcento das amostras mensais e semanais parecem bastante, mas devemos nos lembrar que na estatística 50% significam aleatoriedade. Os resultados das bolsas são tão destoantes que estão abaixo da linha do aleatório.

Com o aumento da amostra então, fica mais do que claro que alho não tem nada a ver com bugalho.

A única coisa que dá pra confirmar, de acordo com as outras evidências que já conhecemos, é de que as bolsas vão sempre crescer no longo prazo, visto que os coeficientes foram positivos em todos os cálculos. Só confirma um conhecimento prévio.

Descanse, pratique esportes, fique com a família, desenvolva algum hobbie, estude pra melhorar sua renda mensal, faça qualquer coisa pra parar de histeria e stress. Faz mal pro coração e pior ainda, causa calvície! :-P

Um ótimo final de semana!

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Ensaio sobre a burrice, a paciência, a resiliência e tudo mais...

Quando Winston Churchill, ainda jovem, acabou de pronunciar seu discurso e estréia na Câmara dos Comuns, foi perguntar a um velho parlamentar, amigo de seu pai, o que tinha achado do seu primeiro desempenho naquela assembléia de vedetes políticas.

O velho pôs a mão no ombro de Churchill e disse, em tom paternal: - "Meu jovem, você cometeu um grande erro. Foi muito brilhante neste seu primeiro discurso na Casa. Isso é imperdoável. Devia ter começado um pouco mais na sombra. Devia ter gaguejado um pouco. Com a inteligência que demonstrou hoje, deve ter conquistado, no mínimo, uns trinta inimigos.O talento assusta".

E ali estava uma das melhores lições de abismo que um velho sábio pode dar ao pupilo que se iniciava uma carreira difícil. A maior parte das pessoas encasteladas em posições políticas é medíocre e tem um indisfarçável medo da inteligência. Isso na Inglaterra. Imaginem aqui no Brasil!

Não é demais lembrar a famosa trova de Ruy Barbosa:
"Há tantos burros mandando em homens de inteligência, que, às vezes, fico pensando que a burrice é uma Ciência".

Temos de admitir que, de um modo geral, os medíocres são mais obstinados na conquista de posições. Sabem ocupar os espaços vazios deixados pelos talentosos displicentes que não revelam o apetite do poder.

Mas é preciso considerar que esses medíocres ladinos, oportunistas e ambiciosos, têm o hábito de salvaguardar suas posições conquistadas com verdadeiras muralhas de granito por onde talentosos não conseguem passar. Em todas as áreas encontramos essas fortalezas estabelecidas, as panelinhas do arrivismo, inexpugnáveis às legiões dos lúcidos.

Dentro desse raciocínio, que poderia ser uma extensão do "Elogio da Loucura", de Erasmo de Roterdã, somos forçados a admitir que uma pessoa precisa fingir de burra se quiser vencer na vida. É pecado fazer sombra a alguém até numa conversa social.

Assim como um grupo de senhoras burguesas bem casadas boicota, automaticamente, a entrada de uma jovem mulher bonita no seu círculo de convivência, por medo de perder seus maridos, também os encastelados medíocres se fecham como ostras à simples aparição de um(a) talentoso(a) jovem que os possa ameaçar.

Eles conhecem bem suas limitações, sabem como lhes custa desempenhar tarefas que os mais dotados realizam com uma perna nas costas...

Enfim, na medida em que admiram a facilidade com que os mais lúcidos resolvem problemas, os medíocres os repudiam para se defender. É um paradoxo angustiante.

Infelizmente, temos de viver segundo essas regras absurdas que transformam a inteligência numa espécie de desvantagem perante a vida.

Como é sábio o velho conselho de Nelson Rodrigues... "Finge-te de idiota, e terás o céu e a terra".

O problema é que os inteligentes gostam de brilhar! Que Deus os proteja, então, dos(as) medíocres!

- Autoria desconhecida